Roberto Campos Neto – Presidente do Banco Central Crédito: Flickr BC

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que o Open Banking passará a ser Open Finance, uma vez que a autoridade monetária entende que o nome original não caracteriza mais a complexidade do projeto. Campos Neto participou nesta segunda-feira de live promovida pela empresa de private equity EB Capital.

“Queremos fazer as várias fases ao longo de 2021 e, basicamente, entendendo que o mundo financeiro é um mundo de dados e nada mais justo que os dados das pessoas poderem ser utilizados por elas próprias para obter produtos melhores e mais baratos. O que está a caminho não é uma fusão somente de bancos e fintechs, o que está a caminho é a fusão de mídia social com a indústria financeira”, declarou.

“Eu não sei se o canal que as pessoas vão entrar no futuro para fazer uma operação bancária será um banco ou uma mídia social. Isso mostra a importância do sequenciamento de dados. Você precisa ter um ambiente bom de sandbox regulatório e a grande corrida do ouro hoje é poder agregar mensageria, pagamentos e conteúdo e isso tem avançado de forma bastante rápida”, complementou.

Pandemia e vacina

O presidente do BC abriu a sua apresentação voltando a falar de pandemia e vacinação e admitiu que média móvel de vacinação no Brasil caiu um pouco devido à falta de insumos para a fabricação da vacina, mas ele voltou a prever que a imunização será forte no País a partir de junho. “O que de fato está acontecendo em matéria de vacinação é menor do que esperávamos, mas tivemos boas notícias de grandes de compras recentes de vacinas”, completou.

Roberto Campos Neto declarou também que a autoridade monetária vai elevar sua projeção de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, ressaltando que o desempenho do primeiro trimestre surpreendeu e que as expectativas do mercado têm se encaminhado em direção a uma alta de 4%.

Ao comentar a alta na inflação, o presidente do BC elencou para as altas nos preços dos alimentos, commodities e desvalorização da moeda. “As expectativas para a inflação no Brasil subiram mais do que em outros países. Tem elemento técnico, fiscal e toda parte da incerteza do cenário político também tem impacto”, refletiu.

Campos Neto se manteve otimista para a retomada da economia, principalmente no segundo semestre e, ao comentar o sucesso da adesão ao Pix, ressaltou que o meio de pagamento instantâneo vai proporcionar a medição em tempo real dos movimentos da economia.