A Movile quer aproveitar a sinergia de suas aquisições e explorar serviços correlatos do ecossistema em que investiu. A empresa também está permanentemente prospectando o mercado em busca de novas aquisições. Um dos mercados-foco é a cadeia logística que a empresa identifica como uma grande oportunidade de desenvolvimento de novos negócios.

“A principal premissa de nossos investimentos é ter um componente de tecnologia e uma habilidade de escalar rápido. Nos últimos cinco anos, as receitas do grupo vêm crescendo 60% ao ano. Logística é um segmento que tem espaço para essas duas coisas. Estamos acompanhando todos os negócios que possibilitem a aceleração do e-commerce e entrega rápida de produtos na casa dos clientes. Outro foco é toda a camada de software as a service que conecte ao e-commerce. E também estamos olhando muito para ESG”, sinaliza Silvia Motta, diretora de estratégia e M&A da Movile.

Silvia Motta, diretora de Estratégia e M&A da Movile – Crédito: divulgação

A Movile nasceu a partir de uma startup criada na incubadora da Unicamp, em 1998, e ganhou corpo nos anos 2000 com a fusão de diversas startups de mensageria – uma inovação para a época – e mais tarde criando serviços de valor adicionado para operadoras móveis. Em 2008, tornou-se a maior empresa do setor de comércio móvel latino-americano através de fusões e aquisições com empresas como Yavox e Cyclelogic. Em 2010. assumiu a marca Movile posicionando-se como um dos investidores estratégicos mais ativos na economia digital. Entre os controladores está a holandesa Prosus, que também tem participação na gigante chinesa Tencent.

“A empresa saiu da operação e passou a focar em aquisições de startups que complementem o nosso ecossistema. Depois de uma meta inicial de atingir R$ 10 bilhões nas empresas investidas, criamos no último planejamento estratégico uma meta ousada de chegar a R$ 100 bilhões nos próximos seis anos no portfólio de empresas que hoje tem como carro-chefe o iFood”, diz Silvia Motta.

Ela diz que, para o alcance da meta desafiadora, a empresa está permanentemente à caça de novas oportunidades, porém de forma planejada. Um dos focos hoje é o segmento de logística que pode complementar o ecossistema e criar sinergia entre as empresas investidas.

“O Ifood tem os motoristas, os consumidores e os restaurantes e estamos começando a explorar essa lógica de ecossistema com os serviços financeiros. Hoje temos diversas verticais: delivery, logística, games, eventos e meios de pagamentos. Criamos a Movile Pay, braço financeiro que atende o iFood e pode oferecer conta digital para os restaurantes e futuramente para os motoristas; a Zoop é uma plataforma de serviços financeiros que permite a qualquer empresa se tornar uma fintech. O iFood também poderia oferecer serviços de logística ou marketing digital.”, elenca Silvia Motta.

Jornada de aportes

O primeiro grande aporte da Movile foi em 2013 no iFood, que recebeu R$ 5,5 milhões; além de mais R$ 5 milhões no ano seguinte. Ainda em 2014, foram feitos os investimentos a Superplayer (R$ 1,15 milhão junto com a aceleradora 21212); Rapiddo (R$ 5 Milhões); Apontador (R$ 36 milhões) e Cinepapaya (R$ 2 milhões).

Em 2015, os aportes contemplaram a PlayKis (R$ 15 milhões) e novamente o IFood, em parceria com a Just Eat , num total de R$ 125 milhões, sendo R$ 83 milhões da Movile. No ano seguinte, as duas empresas aportaram mais R$ 100 milhões na startup de delivery e a Movile investiu ainda R$ 13 milhões na Sympla, que recebeu mais R$ 15 milhões no ano seguinte.

Em 2018, a Movile investiu US$ 18.3 milhões na Zoop e, junto com a Innova Capital, Naspers e Just Eat, foram investidos US$ 500 milhões no iFood, no maior aporte tecnológico da história na América Latina. No ano passado, a Movile investiu na plataforma de entregas colombiana Mensajeros Urbanos e ampliou presença no mercado latino-americano. A empresa também fez uma nova rodada de R$ 60 milhões na Zoop. E este ano investiu na plataforma de entregas argentina Moova.

Silvia Motta, diz que o segmento de fintechs é importante para o Grupo, que além da Zoop e MovilePay, criou uma divisão separada para olhar para isso. Uma das iniciativas mais recentes que reforçam essa estratégia é a criação da Conta Digital iFood, criada pela MovilePay, uma das fintechs do Grupo.