Crédito: Freepik

Depois de várias declarações sinalizando proibições e repressões ao uso e à mineração de Bitcoin, o governo chinês tomou medidas de fato. As autoridades da província de Sichuan ordenaram o fechamento de 26 fazendas, conforme o divulgado nas redes sociais por um ex-minerador de bitcoin. Apesar das sucessivas declarações atacando a criptomoeda, até 2021 o o governo nunca havia tomado nenhuma ação drástica contra a mineração. O Banco Central chinês também fechou o cerco e ampliou o monitoramento de quem negocia com criptoativos. Os bancos chineses estão se recusando a ajudar os clientes a negociar suas moedas digitais.

Os fechamentos das plantas de mineração levaram a taxa de hash (poder de processamento disponível na rede) para o valor mais baixo dos últimos seis meses. O impacto no ecossistema global de critpoativos foi imediato: as principais moedas digitais estão em queda. De acordo com a plataforma CoinmarketCap, o bitcoin chegou a cair hoje 11% e acumula queda na semana de 18%, o Ehereum de 24% e o BNC, criptomoeda da corretora chinesa Binance, cede 19%.

Segundo as agências internacionais, as autoridades chinesas temem que o sistema financeiro do país possa estar exposto indiretamente a riscos. Pequim também estaria preocupada de que possa haver um esvaziamento de seus esforços para monitorar e controlar o sistema financeiro. (com agências internacionais)